Eleições vs cadeados à porta na Escola Superior de Saúde

O desfecho das eleições poderia ter sido outro nos seguintes sete cenários:

Se mais sete alunos votassem na Prof. Helena José, ou pelo contrário, a Prof. Ana de Freitas contabilizasse menos 7 votos a vencedora teria sido a Professora Helena José. E desta forma, qualquer das formas de cálculo levaria ao mesmo vencedor.

O mesmo raciocínio aplica-se com os funcionários. A diferença é apenas de um voto a mais na Prof. Helena José e um a menos na Prof. Ana de Freitas.

Com os professores já existem “duas” possibilidades:

-Ou mais um voto na candidata Prof. Helena José em detrimento da Prof. Ana de Freitas;

-Ou simplesmente um empate nos votos 21-21 ou mesmo 0 votos para cada;

Por fim, a taxa de abstenção faz jus ao velho chavão: “minha culpa minha grande culpa”

Posto tudo isto, e resumindo a moral da história, estes alunos têm alguns motivos para protestar, mas não têm razão no fundamento que os levou a se manifestarem. Quanto mais não seja, serviu para perceberem que a “culpa” não é da associação académica, não é da Assembleia que redigiu os Estatutos da Universidade, não é do reitor não é de ninguém em particular. É dos alunos! E porquê? Por causa da Abstenção. Só precisavam de 7 votos em 417 alunos que não foram votar. Abstenção foi de 52%.

De qualquer das formas, tenho de admitir que a vossa manifestação foi pacífica e fizeram ver o ‘vosso ponto de vista’ (pelo menos na reitoria). Pediram esclarecimentos ao Sr. Reitor, foram esclarecidos e convencidos que não existiu qualquer desvio da verdade eleitoral. Na reitoria tiveram uma atitude correcta e que merece o meu registo.

Quanto ao fechar da escola a cadeados e toda a mediatização envolvida, de certa forma virou-se contra vocês. Saíram quanto a mim, bastante fragilizados pela falta de suporte nos argumentos. Tudo bem que foram induzidos em erro, mas o que será que os vossos colegas que votaram na Prof. Ana de Freitas têm a dizer sobre tudo isto? Eles têm a mesma legitimidade que vocês. Sendo assim, os alunos pronunciaram-se e o resultado está à vista.

Democracia é isto mesmo. Umas vezes corre como gostaríamos, outras nem por isso.

A Universidade como tudo na vida é uma orquestra. Temos os músicos e temos os instrumentos…Todos nós somos músicos em determinadas situação noutras somos instrumentos… É tudo uma questão de termos os incentivos certos para o momento certo. No fundo é uma questão da perspectiva que se cria, do valor que nos é atribuído a um dado acontecimento…

Espero que tudo isto sirva para que se interessem mais pelos assuntos da nossa universidade de uma forma mais activa, porque a universidade precisa de alunos como vocês. Com a motivação e indicação certa, vocês conseguirão dar um grande contributo na representação dos estudantes.

Todos nós erramos e todos nós merecemos segundas oportunidades. Errar faz parte do processo.

Acho que vocês estão em divida com a instituição que vos acolhe. Associem-se e dêem o vosso contributo de uma forma mais consciente, em prol de uma Universidade melhor.

Quanto à Professora Ana de Freitas, não tenho dúvidas que tem toda a legitimidade para cumprir o seu mandato. Deste modo, os meus parabéns pela eleição e um desejo de um mandato feliz e próspero.

.

Anúncios

A sua opinião tem importância!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s