Primeira reunião ordinária do Conselho Geral da Universidade do Algarve de 2010

Exmº (a) Senhor (a) Membro do Conselho Geral

Convoca-se V. Ex.ª para a primeira reunião ordinária do Conselho Geral da Universidade do Algarve de 2010, a qual decorrerá no dia 1 de Março, pelas 14h30m, na sala de Seminários da Reitoria, Edf. 5, no Campus de  Gambelas, em Faro, com a seguinte Ordem de Trabalhos:

1. Aprovação da acta da reunião anterior.
2. Plano de Actividades da Universidade para 2010.
3. Orçamento da Universidade para 2010.
4. Plano Estratégico: notas metodológicas e primeira noticia.
5. Substituição de membros no Conselho Geral.
6. Provedor do Estudante.
Anúncios

14 pensamentos sobre “Primeira reunião ordinária do Conselho Geral da Universidade do Algarve de 2010

  1. Note-se que apesar de o plano de actividades constar da ordem de trabalhos, o mesmo não poderia ser alvo de discussão sem ser precedido de um parecer a realizar pelos membros externos conforme consta no estatutos da UAlg e no RJIES. O mesmo foi entregue aos membros no 19-03-2010 após a reunião.

  2. Já agora Joaquim, em que é que ficou a reúnião de hoje? Poderia-nos dar "um cheirinho" do que foi dito sobre o Plano Estratégico e sobre o Provedor do Estudante?

  3. Caro PedroInfelizmente escândalos é o que não faltam a esta universidade. O que falta é pessoas com vontade de mudar o rumo das coisas.Os "poderes ocultos"???À boa maneira portuguesa, estas coisas resolvem-se no café, estabelecendo a parte que cabe a cada uma das partes envolvidas. O lamaçal é extremamente conveniente para prosperar o quintal de alguma "madeira podre" como refere, que por aqui andam. Há que controlar o pensamento das pessoas com estas questões para existir caminho livre noutras.O Eng. Sócrates deve ter agradecido a todos os anjinhos pela catástrofe na Madeira. Veio em boa altura porque desviou os holofote da comunicação social…

  4. Caro Joaquim,Eu só digo que perder 10 meses em 36 para planear esses 3 anos é completamente absurdo. Aparentemente há mentes superiores que pensarão o contrário…Tudo isto me faz lembrar o escândalo dos módulos da FCT com o "muda, não muda". Nessa novela já há desenvolvimentos e parece que não é para o ano que mudamos. Há poderes, quase que "ocultos", a quem a mudança e eficiência interessam muito pouco. Resta saber quem é essa "madeira morta" (parar citar um membro do CG)…

  5. Ó Carlos, não sejas assim que já não tenho idade para ser enganado dessa forma… Só quando quero e mesmo assim tenho a tendência irritante para dizer o que penso e já o fiz no comentário anterior!

  6. Relativamente ao Provedor do estudante, eu defendo alguém que não seja do sistema. Mas isso não vai acontecer porque quando os nomes são apresentados, um deles já está eleito, tal como aconteceu com os cooptados na Assembleia estatutária de 2007/2008. Levamos dois meses e muitos dias a esgrimar argumentos, quando eles já estavam definidos à imenso tempo.Fiz parte desse teatro e desse consenso…

  7. Caro PedroÉ verdade que o documento está aberto para discussão, mas atendendo que é uma competência do Reitor, cabe ao conselho Geral aprovar ou não aprovar. Apesar de os membros poderem discuti-lo em plenário, tem como objectivo convencer os membros da bondade do documento e não proceder alterações ao mesmo. Evidentemente que se for rejeitado,(o que eu duvido!!!), o reitor ver-se-á obrigado a fazer alterações. Com as propinas aconteceu a mesma situação, eu apresentei uma proposta, e um membro levantou a questão dos contributos. O parecer de um jurista afecto à Universidade do Algarve,confirmou o que acabei de escrever, como seria de esperar.Quanto à morosidade, a questão é: a quem é que interessa?

  8. Caro Joaquim,Eu compreendo que não é competência do CG elaborar o plano. Contudo, pela ordem de trabalhos suponho o mesmo esteja aberto a discussão e aprovação, estou correcto?A grande crítica a levantar é a morosidade de todo o processo. É a imagem da reúnião atrás de reúnião…Compreendendo que o período de reflexão externa é necessariamente moroso (é em período de férias, por exemplo) parece-me que estão calendarizados períodos sem justificação. Atenção que pode ser falha minha ao não entender completamente o processo. Vamos por partes:1) Existem 2 períodos de 1 mês (sensivelmente) onde se elaboram a versão provisória e final para entrega ao CG. 1 mês para elaborar o documento parece-me excessivo. Supondo que grande parte das ideias venham da discussão entre os órgãos e as discussões públicas e externas parece-me ainda mais gritante.2) As primeiras 4 actividades e o seu planeamento são o outro ponto "fraco". Até 31 de Março é suposto fazer-se a análise da sitiação e identificação dos projectos. Suponho eu que esse estudo necessite de debate interno dentro e entre os diferentes órgãos logo não entendo o ponto 4 onde se leva 1 mês para sintentizar os 3 pontos anteriores. Parece-me que tanto a escrita provisória do documento como a sintese deveria ocupar tempos residuais e não 2 meses. Caso essas tarefas fossem incluidas no tempo destinado para a discussão (suponho que de uma discussão se produzam documentos logo, trata-se apenas de os tratar) a discussão externa poderia ser calendarizada para antes das férias de Verão tornando também esse processo mais rápido.No fundo o que me parece é que cortando nesses 3 tempos de pura burocracia poderia-mos ter tempo de o documento estar concluido antes do início do ano lectivo 2010/2011 o que me parece só trazer vantagens.Concluir um documento depois do arranque de mais um ano lectivo só vai levar a que os efeitos nele estipulados se atrasem mais…

  9. Caro PedroPois está bem, mas continua a não ser competência do Conselho Geral elaborar Plano Estratégico.Eu não discordo do seu comentário, até concordo com a critica que faz. No entanto, realcei o facto para facilitar o entendimento dos utilizadores deste blog que possam eventualmente não terem os estatutos da UAlg presentes.O Post está rigorosamente igual ao email que recebi do presidente do Conselho Geral.A reunião é amanhã, por isso estou aberto a sugestões que eventualmente poderei apresentar na reunião de amanhã. Por isso peço-lhe que nos ajude a descodificar a informação que achar pertinente.

  10. Caro Joaquim,Note que eu não estava a falar do Orçamento, mas sim do Plano Estratégico. Suponho que tenha sido um lapsus linguae…Apenas fiz o reparo porque no ponto 4 da ordem de trabalhos aparece: "Plano Estratégico: notas metodológicas e primeira noticia."Ora a metodologia parece-me carecer de várias notas sobre agilização como expus no comentário anterior.

  11. Queria aqui apenas deixar uma nota sobre o Plano Estratégico.Alguém me pode explicar, e já agora o Joaquim que conhecerá melhor a situação, como é que para fazer um plano para 3 anos se gasta no mínimo (e digo mínimo poque já se sabe como são as datas por estas terras) 10 meses? Gasta-se quase 30% do tempo a discutir o que fazer com os restantes 70?!3 meses para identificar a situação e os projectos e depois mais 1 mês para sintetizar depois mais 1 mês para debater internamente e apresentar ao CG, mas o debate já não deveria ser progressivamente feito durante os 3 meses iniciais? Depois temos mais 1 mês para incorporar as sugestões do GC, 15 dias para debate interno e 2 meses para debate com o exterior, depois disso mais 1 mês para apresentar a versão final…Só a partir daqui eu definiria já uma meta para 2013, diminuir drasticamente a burocracia interna da universidade e agilizar a tomada de decisões!

A sua opinião tem importância!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s